Botaram minha mãe em quarentena



Botaram minha mãe em quarentena. Como as sacolinhas de supermercado. Botaram em quarentena nossas mãos, braços e abraços. Os cafunés e os colos. As arrumações de armário e as troca de blusas. Os Netflix lado a lado. Os cafés no Starbucks. Minhas assistências tecnológicas. As viagens só nós duas. As férias do meu filho na vovó. Os bolos de chocolate. Os almoços de domingo. As selfies sempre juntas. Ah, e os beijos. Mas não conseguiram botar em quarentena as nossas conversas. As confidências. Ou as broncas. Os conselhos e os olhares. Nosso carinho, amizade e cumplicidade. Nosso amor. Muito menos o dia das mães. Feliz dia, mãe.

Recent Posts
Arquivo

© 2017 by Bia Garbato