Minha cama é um barco


Minha cama é um barco. Que navega por águas calmas no meio da tempestade. As ondas me balançam, mas não me afogo. Meu corpo é meu porto seguro. Posso ouvir minha respiração e meu coração batendo. Posso ouvir meus pensamentos e eles me dizem para não esquecer de respirar. Me lembram de flutuar, pois tudo vai passar. Estou à deriva, em alto mar. Minha cama é meu barco, mas eu não sou o capitão. Sou apenas uma tripulante, que vai para onde o vento me levar. Minha cabine é meu peito. E nele estou isolada. Isolada da vida. Isolada da dor. Daqui vejo o céu, algumas gaivotas e muitas nuvens. Estou imersa nas minhas emoções. Não sei se estou louca ou se estou sã. O sol me faz arder. Sinto o vulcão dentro de mim. Fervendo de vontade de sair lá fora.

Recent Posts
Arquivo

© 2017 by Bia Garbato