Dia de bode


Às vezes a gente acorda meio sei lá o que, com aquela vontade de morar numa casa na beira de um lago no Canadá, de

comer doce de leite, de botar um gorro. Dá vontade de deitar no sofá e ver um filme necessariamente europeu, mas dá preguiça de achar esse filme, apertar a sequência de botões necessários para ele passar, então ficamos com um programinha na GNT com a Gio Ewbank, que parece ser irritantemente mais feliz que a gente. Nos sentimos culpadas por estar em casa com o sol lá fora, pensando que tá todo mundo trabalhando, talvez fazendo pilates, enquanto estamos miseráveis em casa, de legging rosa e coque amassado... Dá culpa por não ter ido visitado a prima que teve neném, por não ter feito supermercado e a única fruta que tem em casa é sorvete de morango. Nos sentimos mal por não ter ido ao salão (esse bigode não é meu, peguei emprestado) ou pelo menos ter ido tomar um café de óculos escuros demonstrando nossa profundidade... mas não, hoje eu só sei que não vou. De manhã, meu marido se arrumou e eu não. Fiquei ouvindo a trilha sonora de Evita deitada na cama (para já dar a pinta da tragédia). Aí quando ele veio me pressionar eu dei uma choramingada e disse: “não tô muito bem, vai indo que eu já vou” (sem ter a menor certeza do já vou) e ele foi obrigado a entender. Eu sempre tô relativamente linda, relativamente de bom humor. Mas hoje não, hoje não tem relatividade! Obviamente que produzi o dia inteiro, mesmo de pijama no sofá. Despachei meu filho pra escola, paguei contas, atendi telefonemas como se tivesse na rua salvando o mundo e fiz todas essas coisas que a gente faz sem saber muito porquê.

Minha terapeuta acha que é protesto, boicote e todos esses termos psicológicos. Minha mãe acha que é moleza. Então não conto pra elas, só para vocês, ok? Portanto, meus queridos, vos digo, ser mulher, ter 30 e nem tão poucos anos, ser casada, mãe, se chamar Beatriz, ou tudo isso junto, às vezes não é fácil. Mas ainda bem que tenho vocês para escutarem meus desabafos. Agora vou tomar um banho e botar um batom vermelho que eu vou sair pra dançar.


Recent Posts
Arquivo

© 2017 by Bia Garbato